Dietas e Emagrecimento

Nutricionista com foco em Emagrecimento e Saúde da Mulher

Dietas e Emagrecimento

maio 23, 2018 Dieta Cetôgenica Dieta de Restrição Calórica Dieta Low Carb Dieta Páleo Emagrecimento 0

Seja diminuindo calorias, gorduras ou carboidratos, qualquer restrição de um ou mais grupos de alimentos resultará em perda de peso para a maioria das pessoas. Mas já percebeu como é difícil manter uma restrição alimentar por muito tempo? Fome, ansiedade, nervosismo, mau humor são sintomas comuns quando se faz uma dieta de restrição, e sabe porque?
Temos uma série de mecanismo biológicos de defesa contra a perda de peso e esse fato deve-se a lei da sobrevivência, vigente nos primórdios da espécie humana, quando os animais que sobreviviam eram aqueles que tinham maior reserva energética. 

Quando a restrição energética é muito intensa, cada célula de seu corpo, como um mecanismo de proteção torna-se mais econômica, como se estivessem em uma guerra e precisasse se defender da fome. Seus hormônios e enzimas começam a atuar contra à redução do peso, e seu organismo se mobiliza para que você volte a ingerir o habitual. E se você conseguir manter a dieta e perder o peso desejado, no momento que relaxar, muito provavelmente voltará a ganhar tudo que perdeu e um pouco mais. É como tentar parar de respirar, você consegue por algum tempo e quando volta a respirar, teu corpo tenta compensar a falta do ar hiperventilando.

Entretanto, uma pequena restrição calórica, gradual e constante, habituando seu organismo lentamente ao novo peso é uma estratégia interessante, mas existem outras estratégias para perda de peso tão interessante e talvez mais adaptada ao seu perfil.
Dieta sem glúten para perda de peso
Uma dieta sem glúten elimina todos os alimentos que contenham ou contaminados com glúten encontrados em alimentos como  trigo, centeio, cevada, e aveia. 
Jejum intermitente 
Se trata de breves períodos de jejum, com ou sem alimentação ou redução significativa de calorias e períodos de alimentação irrestrita. 
Dieta cetogênica ou “keto”
Plano alimentar pobre em carboidratos e rico em gordura que tem sido usado para tratar condições médicas específicas. No século 19, a dieta cetogênica foi usada para ajudar no controle do diabetes. Em 1920, foi introduzido como um tratamento eficaz para a epilepsia em crianças nas quais a medicação era ineficaz. 
Dieta Low carb
Dieta baixa em carboidratos, benéfica para reduzir os triglicérideos, a principal partícula que transporta gordura na corrente sanguínea, e também proporciona o maior aumento no colesterol HDL protetor.
A dieta Paleo 
Baseada na idéia de comer como nossa espécie, o homem paleolítico evolui, não só para garantir o peso, mas também para se manter saúdavel. A dieta Páleo é rica em alimentos como vegetais, fibras e gorduras saudáveis. 
A minha opinião:
Não existe uma regra perfeita pois cada caso é único mas a meu ver, a dieta Páleo é uma estratégia muito próxima daquilo que eu acredito como alimentação natural e genuína e que pode ser seguida por toda a vida.
Pela grande presença de fibras provindas de vegetais e frutas e das gorduras contidas naturalmente nos alimentos, você não sente fome o dia todo e portanto come menos,  além de oferecer uma grande oferta de nutrientes ao contrário da dieta de restrição.

E se você pretende emagrecer com a Dieta Páleo?
Assim como a dieta Low Carb, a dieta Páleo também pode ter baixas quantidades de carboidratos, isso vai depender da intenção de quem a faz. Se o objetivo é emagrecer, o consumo de raízes e frutas devem ser limitados.

Páleo e Low Carb qual a diferença?
Na dieta Páleo se prioriza comida de verdade, advinda da natureza, sem adoçantes, aditivos e conservantes.
Já na dieta Low Carb, em geral, o que importa é a quantidade de carboidratos que são consumidos por dia e não a sua qualidade, por exemplo, um refrigerante diet pode ser considerado Low Carb. 

Na dieta Low Carb, diferente da dieta Páleo, o consumo de produtos lácteos, alimentos industrializados, salsichas e carnes defumadas são permitidos. No que diz respeito à gordura, não há critério referente ao seu consumo. A título de exemplo, neste contexto, o óleo de soja tem o mesmo valor que o azeite.
A meu ver, a dieta Low Carb é uma excelente estratégia par a quem quer perder peso e não querem uma dieta muito restritiva. No entanto, limitar os carboidratos, como açúcar e farinhas refinadas, é uma condição necessária, mas não suficiente, para uma boa saúde. Concordam?

Nutricionista Christine Melcarne
CRN 11100403 

linktr.ee/melcarne.nutricao

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *