ALERTA! Estamos carentes de vitamina D

Nutricionista com foco em Emagrecimento e Saúde da Mulher

ALERTA! Estamos carentes de vitamina D

julho 13, 2012 Alimentação Funcional Alimentação na Infância Alimentação na terceira idade Alimentação Saudável Saúde na mídia 0
Vocês já devem ter ouvido falar na vitamina do sol ou vitamina D. Sendo assim, fica um tanto dramático o título deste post, já que vivemos em um país tropical e temos vitamina D em todas as estações do ano, certo? Mas a coisa não é bem assim. A vida moderna mudou esse quadro. Quer ver? Vamos recapitular:
Antigamente, as pessoas não dispunham de filtro solar, nem vídeo game e muito menos de computador. Quando queriam visitar um amigo, saiam de casa e se expunham ao sol, pois não tinham e-mails nem redes sociais. As crianças brincavam ao ar livre, e não dentro das casas com vídeo games. Não se usava internet para se comprar alimentos, roupas e tudo mais. Não existia internet banking,  nem shopping, eram lojas de rua.  Entre outras coisas mais que a tecnologia nos “facilitou”.
Quanto aos alimentos fonte de vitamina D, o óleo de fígado de bacalhau, que as crianças antigamente eram obrigadas a tomar mesmo a contragosto, era excelente fonte. As vísceras, ovos, carnes gordas e produtos lácteos integrais, que aprendemos a evitar ao longo dos anos, são os poucos alimentos que contém esta vitamina.
Os estudos tem apontado uma grande carência de vitamina D na população, e isso no mínimo é perigoso, já que a sua deficiência está relacionada à incidência de osteoporose, aumento de demências em idosos, doenças neurodegenerativas, resistência insulínica,  doença cardiovascular e câncer. Outros estudos apontam a relação de baixos níveis de vitamina D com encurtamento dos telômeros,  estruturas localizadas nos cromossomos que estão relacionadas com  a expectativa de vida do ser humano.
Evidências epidemiológicas tem mostrado que as recomendações de ingestão diária devem ser revistas e atualizadas. Não se pode ignorar os inúmeros benefícos da vitamina D, mesmo porque o risco de toxidade é muito baixo se levarmos em conta que em apenas alguns minutos de sol podemos ter uma produção de até 10 000 IU de vitamina D, valores muito além da recomendação. 
Outra justificativa para o aumento destes valores, é a dificuldade dos idosos em sintetizar a vitamina D no organismo.
É fato  que o excesso de sol tem grande relação com o envelhecimento precoce e alguns tipos de câncer, mas 30 minutos de sol todos os dias, sem filtro solar e com pouca roupa conseguem manter os níveis de vitamina D adequados  e melhorar nossa saúde.
O que estamos esperando para usufruirmos dos benefícios da vitamina D?

fonte:
http://www.iom.edu/Reports/2010/Dietary-Reference-Intakes-for-Calcium-and-Vitamin-D/DRI-Values.aspx
http://www.vitamindcouncil.org/

A presente orientação não dispensa o atendimento presencial com um nutricionista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *