Porque eu não emagreço?

Nutricionista com foco em Emagrecimento e Saúde da Mulher

Porque eu não emagreço?

dezembro 2, 2013 Alimentação Funcional Alimentação Saudável Emagrecimento Saúde e Comportamento Saúde na mídia 0

Você já deve em algum momento da sua vida ter se perguntado o porquê da sua amiga comer o

dobro do que você come e ser magra como uma modelo.
Pois é, isso acontece por vários fatores, e um dos principais é o que chamamos de individualidade bioquímica. Vou explicar do que se trata:

Durante a digestão, os alimentos, através de processos mecânicos e químicos, são “quebrados” em pedacinhos cada vez menores até que possam atravessar as paredes do tubo digestivo e chegar às células. A maior parte desse processo acontece no seu intestino delgado, mas especificamente no duodeno, jejuno e íleo.

Para que a absorção dos nutrientes aconteça, o bolo alimentar tem que estar em contato com a parede intestinal. Essa parede é coberta por vilosidades que mais se parecem  pequenos dedos, e essa peculiaridade faz com aumente o contato do bolo alimentar com a  parede intestinal.  Os resíduos alimentares que não foram digeridos no intestino delgado seguem para o intestino grosso, que é dividido em ceco, cólon e reto, onde por fim são eliminados.

Simples? Bem, não é tão simples como parece…

O processo digestivo não é igual para cada pessoa, a quantidade de calorias extraídas de cada alimento depende de vários fatores:
  • Tipos de alimentos: alimentos diferentes podem terão comportamento diverso no processo digestivo. As proteínas, por exemplo, podem exigir até cinco vezes mais energia que as gorduras, porque as enzimas digestivas precisam desfazer as cadeias enoveladas de aminoácidos que formam as proteínas. Já alimentos como o mel, por exemplo, são metabolizados tão rapidamente que o sistema digestivo praticamente não entra em ação.
  • Forma de preparo : a forma que o alimento foi preparado também influência na digestão.  Em geral, quanto mais cozidos, processados, macerados, moídos ou fermentados forem esse s alimentos , mais facilmente serão digeridos, aumentando significativamente a quantidade de calorias extraídas deste alimento.
  • Característica da microbiota intestinal: cada indivíduo tem sua microbiota particular, esses bichinhos que habitam nosso intestino e que participam de forma ativa da nossa digestão. Dependendo do tipo de bactérias e de sua quantidade, você irá digerir nutrientes/calorias de forma mais ou menos eficiente.
  • Tamanho do intestino. Se duas pessoas comerem exatamente o mesmo alimento na mesma quantidade e na mesma forma de preparo, a pessoa que possuir o intestino mais longo terá uma área de contato com o bolo alimentar maior, consequentemente terá uma absorção calórica também maior. Simples assim.
  • Processos metabólicos eficientes. Quando o seu trato digestório encontra-se inflamado, como ocorre em algumas doenças, alergias, intolerâncias e obesidade, às vilosidades intestinais perdem sua capacidade absortivas e não conseguem extrair os nutrientes presente no bolo alimentar de forma eficiente.
  • Outros fatores como genéticos, ambientais, atividade física, quantidade e qualidade do sono, idade  e muitos outros também influenciam nesse mecanismo.

Fica claro que a digestão é algo complexo, e que cada individuo tem suas características e particularidades. Se você precisa emagrecer ou quer manter seu peso de forma saudável, procure um nutricionista. Somente esse profissional poderá prescrever um plano alimentar individualizado, respeitando todas as suas peculiaridades.

fontes:
Tudo o que você sabe sobre calorias está errado.  Dunn, Rob – Scientific Ámerican Brasil, outubro 2013
Discrepancy between the Atwater factor predicted and empirically measured energy values of almonds in human diets. Janet A. NOvotry, Sarah K, Gebauer e David J. Baer American Journal of Clinical Nutrition, vol 96, n 2, pags. 296 -301,1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *